segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

As dificuldades e falta de incentivo para a pratica esportiva e formação de atletas.


Olimpíadas chegando e nossa esperança em conquistas brasileiras aumenta, principalmente em 2016, quando este evento acontecerá no Brasil.
Mas antes mesmo de começarmos a sonhar, vamos refletir sobre alguns aspectos sobre a qualidade de vida e formação de nossos atletas.
Assistindo um vídeo onde os brasileiros pediam desculpas aos atletas pelos esforços que tanto fizeram para chegarem onde estão hoje, pude tirar algumas conclusões sobre o incentivo da prática esportiva no Brasil.
Assim como é hoje na maioria das cidades brasileiras, nossos atletas foram educados em escolas onde os espaços para as aulas de educação física eram precários e inapropriados e, além disto, não puderam contar com aulas de educação física nas suas séries iniciais, pois não havia professores. Por isso as crianças buscavam praticar o esporte em algumas escolinhas, que é o que as crianças de hoje em dia costumam fazer para suprimir a falta do mesmo pela rede pública. Mas o problema é que estas escolinhas, visando somente o lucro, busca apenas quantificar seus treinos ao invés de qualificar os mesmos. Este comércio que os donos de escolinhas fazem, independente da modalidade, assim como hoje irá refletir no futuro, com a formação de atletas sem capacidade de competir internacionalmente.
A busca por lugares privados para a prática esportiva é causada pela falta de incentivo e importância que o esporte recebe de quem realmente devia. Pois se a crianças tivessem acesso a mais praças de esportes de qualidade, elas poderiam aproveitar as “ruas” de forma mais saudável, mas os poucos destes lugares que elas encontram nas cidades brasileiras, na maior parte estão abandonados pelo poder público, não oferecendo à população a menor condição de praticar um esporte de qualidade em um local agradável, longe da violência que hoje impossibilita as crianças de utilizarem até mesmo a rua em frente de suas casas como área de laser.
A falta de incentivo para que crianças pratiquem esporte faz com que talentos esportivos sejam desperdiçados, principalmente em comunidades mais carentes, onde a criança, mesmo que tivesse um local para praticar o esporte que tanto gosta, não tem condições de se locomoverem até o local ou alimentarem de forma correta para que pudessem fazer o que gosta de forma saudável.
E as poucas crianças que hoje tem condições de treinar alguma modalidade, lhe são tiradas o prazer de fazê-lo como criança, tendo hoje a obrigação de aprender a fazer daquilo um emprego, afastando muitas vezes a mesma dos estudos, que á a base fundamental para a formação de qualquer cidadão com a desculpa que o esporte é a única maneira de fazer esta criança ascender socialmente, forçando muitas vezes os pais a fazerem sacrifícios que seriam desnecessários caso o devido apoio fosse dado por parte de quem governa este país.
Os poucos que, mesmo com todas as dificuldades, conseguem superar todos os obstáculos e têm a oportunidade de praticar esporte profissionalmente por grandes clubes ainda sim sofrem com a falta de incentivo, pois necessitam de patrocínio para participarem de torneios e são poucas as empresas que apostam no incentivo ao esporte. Leis que beneficiam este incentivo por parte das empresas são poucas e dificultam a participação de nossos atletas em algumas competições. Mas não  digo em cito citando de forma geral todas as categorias. O esporte profissional, principalmente as modalidades que chamam mais atenção do público em geral, são vistas pelas empresas como fonte para expandir seus negócios, não colocando empecilhos para financiar equipes. O problema é a formação de base, as pequenas entidades que ainda se preocupam em oferecer aos atletas uma formação esportiva de qualidade mas que não tem condições de manter um bom trabalho com recursos financeiros próprios.
Cabe então preocupar com leis que abranja esta parte do esporte: a base. E assim possamos nos preocupar com outras modalidades que não somente o futebol, que hoje também já vem sofrendo todas as qualidades que eram marca registrada do país.
 Torcer para que os governantes, do menor ao mais alto escalão, possam contribui para a formação destes atletas desde a base, pois quando este alcançar a vitória pela qual tanto batalharam, nossos políticos os utilizará como troféus de campanha para vangloriar a si mesmos. Pois se nossos governantes não conseguem criar leis e legislações para criar planos de ação para avançar e melhor a qualidade do esporte, como querem trazer para nosso pais grandes eventos como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, sendo que não teremos qualidade suficiente para comemorarmos vitorias no “quintal de casa”.
Por isso, independente das vitórias ou derrotas de uma equipe ou atleta, independente se a imprensa vai vangloriá-lo ou julgá-lo, vamos, antes de tomar qualquer iniciativa ou elaborar algum comentário destrutivo, refletir sobre as dificuldades que um atleta brasileiro enfrenta para que possa perseguir o seu sonho. Pois quando ele conquista um título, por menor que seja ela, pode ter certeza que ele se orgulha muito de ser brasileiro, assim como você.
Por Paulo Cascão


Um comentário:

Aline Moura disse...

Achei incrível as explicitações do tema abordado, pois abrange pontos positivos e negativos demonstrando sua capacidade intelectual de argumentar onde traz ao leitor grande nostalgia. Aline Moura Lopes